RÁDIO CATARINA FM ONLINE

Operação do MP afasta prefeito de Crateús e acirra ânimos com vice-prefeito, que assume a gestão

A operação “Duo Facta”, deflagrada pelo Ministério Público do Ceará (MPCE), nesta quinta-feira (16), afastou o prefeito de Crateús, Marcelo Machado (PDT), e dois secretários municipais das suas funções por 180 dias. Assim, quem assume a gestão é o vice-prefeito Dr. Nenzé Bezerra (PSB). São investigadas supostas irregularidades na contratação de serviços de publicidade e locação de máquinas pesadas pelo Executivo. 

Os secretários afetados foram os titulares de Infraestrutura, José Airton Felipe Timbó, e de Comunicação Social e Relações Públicas, Enivaldo Sampaio. A operação bagunçou o clima político já acirrado na cidade a poucos meses das eleições.

VEJA TAMBÉM

Na quarta-feira (15), o vice-prefeito foi às redes negar boatos de que teria denunciado o companheiro de chapa às autoridades, sem detalhar o tipo de acusação que poderia motivar o ato. "Nunca fiz qualquer movimento para tirá-lo da Prefeitura de Crateús. Se o Marcelo tem algum problema, ele que vai resolver juntamente ao Ministério Público, que cabe a ele", disse.

"Eu fui vice-prefeito de Crateús do José Almir, e ele é história viva. Perguntem ao Zé Almir se, por ventura, eu fiz qualquer coisa que viesse a denegrir a gestão dele, a sua imagem ou qualquer crateusense. Com relação ao Marcelo, ainda sou o vice-prefeito de Crateús. Pode procurar a Procap, a Câmara Municipal ou qualquer lugar que eu tenha feito qualquer denúncia contra o Marcelo, nunca fiz isso. Sempre tive muito respeito pela pessoa dele", completou.

Já o prefeito afastado fez uma transmissão ao vivo pelas redes sociais, nesta quinta, para comentar os desdobramentos e fazer um balanço da gestão. Em dado momento, chegou a se emocionar.

"O interior, hoje, tem um prefeito. Aliás, tinha até ontem, mas uma pessoa que se identificou... e deus sabe disso, e a população também. Por que não vai para as urnas? Vamos para as urnas, disputar o voto a voto com respeito. [...] Aí o cara atropelar o mandato de um prefeito na reta final do seu mandato com os projetos tudo na rua...", disse.

"Futuro a deus pertence. População de Crateús não elege nenhum prefeito para ter o sentimento do que nós estamos passando. Você passar por um constrangimento desse simplesmente porque a pessoa que chega ao poder humilhando, não é só a mim, não, é a população de Crateús", completou. 

OPERAÇÃO EM CRATEÚS

Diligências também foram feitas em Fortaleza, Canindé e Caucaia pela Procuradoria dos Crimes Contra a Administração Pública (Procap), com apoio da Polícia Civil. Na Prefeitura de Crateús, em residências e em sedes de empresas, foram cumpridos 12 mandados de busca e apreensão. O Tribunal de Justiça do Estado (TJCE) ainda quebrou os sigilos bancários e fiscal de investigados. 

O nome da operação é escrito em latim e significa dois fatos, tendo em vista que na operação foram cumpridas duas decisões judiciais relativas a contratações distintas (serviços de publicidade e a locação de máquinas), feitas pelo Município.

Diário do Nordeste buscou a Prefeitura de Crateús e o Ministério Público em busca de mais detalhes sobre o andamento dos trabalhos após a operação. A matéria será atualizada quando houver resposta. 

 

Escrito por Ingrid Campos ingrid.campos@svm.com.br 

Foto: Reprodução/Redes sociais

Fonte - Diário do Nordeste.

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem