sexta-feira, 18 de setembro de 2020

O Departamento de Edificações, Rodovias e Transportes (DERT) Regional de Iguatu está realizando trabalhos de roço, limpeza e retirada do mato às margens da Rodovia CE-371 entre Catarina e Acopiara, atendendo solicitação da Prefeitura Municipal de Catarina.

Cagece de Catarina retorna com atendimento presencial a partir da próxima segunda, dia 21.

 



Mais de 3 mil gestores no Ceará têm contas desaprovadas pelo TCE; prefeito de Catarina, Dr. Thiago tem contas aprovadas.

Foto - Blog do Diomar Araujo 

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) encaminhou ontem (17) ao Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE) e ao Ministério Público Eleitoral (MPE) a lista de 3.037 pessoas que tiveram contas relativas ao exercício de funções ou cargos públicos rejeitadas por irregularidade insanável ou por decisão irrecorrível, nos últimos oito anos. A relação é uma das principais fontes de casos de candidatos que se tornam "fichas sujas", ficando proibidos de disputar eleições.


Peritos médicos e INSS farão inspeção conjunta nas agências do Ceará

Foto: José Leomar
Foto - José Leomar 

 Representantes da Associação Nacional dos Peritos Médicos Federais (ANMP) e do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) começam, na segunda-feira (21), inspeção conjunta em agências do órgão no Ceará para avaliar a estrutura e segurança dos postos de atendimento quanto às medidas preventivas à Covid-19. Apesar da reabertura das agências do INSS no dia 14, o serviço de perícia médica está parado, pois os médicos se recusaram a retornar alegando insegurança para os servidores.


Empresários e vereadores de Crateús são suspeitos de movimentar R$ 1 mi em contratos fraudulentos

 

O Ministério Público do Ceará (MPCE) deflagrou, na manhã desta quinta-feira (17), uma operação que investiga corrupção, peculato e lavagem de dinheiro em contratos da Câmara Municipal de Crateús. Duas pessoas foram presas na operação e um investigado está foragido. A investigação realizada pelo MPCE aponta movimentação de mais de R$ 1 milhão nas contas de suspeitos envolvidos com contratos de consultoria contábil e financeira, supostamente "de fachada", com valores que eram repassados, em parte, a integrantes do esquema.