RÁDIO CATARINA FM ONLINE

Vice-governadora do Ceará testa positivo para Covid em meio a alta dos casos no estado

 A vice-governadora do Ceará, Jade Romero, testou positivo para Covid-19. A informação foi compartilhada nas redes sociais dela nesta quinta-feira (30). O Ceará, inclusive, passa por uma alta nos casos positivos de coronavírus nas últimas semanas. "Graças à vacina, estou apenas com sintomas leves. Nos próximos dias manterei uma agenda remota de trabalho, cumprindo isolamento recomendado. Aproveito para reforçar a importância da vacinação. Quem ainda não tomou a dose da bivalente, deve procurar um posto de saúde em seu município", disse a vice-governadora.


Dados da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) mostraram que houve um aumento no número de casos da doença entre os dias 19 e 25 de novembro deste ano, com 716 pessoas diagnosticadas com a infecção. Na semana anterior (12 a 18 de novembro), houve 247 registros. Os dados refletem o resultado de testes rápidos e de exames RT-PCR realizados em todo o território cearense. De 19 a 25 de novembro, o Laboratório Central de Saúde Pública do Ceará (Lacen) realizou 577 testes RT-PCR para Covid-19. O índice de positividade verificado foi de 21,3%, com 156 casos confirmados.


Circulação de Covid-19 no Ceará


O aumento de casos positivos de Covid-19 no Ceará nas últimas semanas chama a atenção. Em um mês, o Ceará teve mais de mil novos casos da doença. No entanto, as altas e baixas da circulação do vírus devem seguir, mesmo com a vacinação. É o que avalia a epidemiologista Caroline Florêncio, doutora em saúde coletiva. “Com ou sem vacina agora manteremos esse cenário de períodos mais intensos de circulação e momentos de baixa”, declarou Caroline. “Os vírus respiratórios têm comportamento sazonal por conta dessas características: não causar imunidade duradoura e serem bastante mutáveis, gerando subvariantes”, complementou a especialista. “Depois que um vírus como o SARS-cov2 se torna endêmico ele não vai mais sumir, teremos que conviver com ele”, explicou Caroline.


O secretário executivo de Vigilância em Saúde da Sesa, Antonio Silva Lima Neto, avaliou que o acréscimo pode estar relacionado à circulação da EG.5 (variante Eris). “É capaz de driblar a memória imunológica e provocar infecção respiratória ou síndrome gripal. Esse é o cenário que provavelmente está se configurando ao longo do mês de novembro”, explicou o secretário. Ainda de acordo com o gestor, a Sesa está monitorando o cenário epidemiológico, que, até o momento, apresenta um impacto moderado sobre a rede assistencial.


Fonte - G1CE.

Post a Comment

أحدث أقدم