RÁDIO CATARINA FM ONLINE

Operação Carro Pipa: verba prometida pelo governo federal não chega, e 259 cidades do Nordeste seguem ao aguardo de recursos; O Ceará tem cinco cidades — Aiuaba, Arneiroz, Beberibe, Irauçuba e Quiterianópolis com o abastecimento temporariamente suspenso

 Apesar de ter liberado R$ 21,4 milhões para normalização da Operação Carro-Pipa, o governo federal não enviou o dinheiro para a continuidade do programa. Em razão disso, 259 cidades do Nordeste aguardam recursos para continuidade do abastecimento, temporariamente suspenso em 57 municípios da região. O programa foi implementado há mais de 20 anos por meio de cooperação técnica e financeira entre os ministérios do Desenvolvimento Regional (MDR) e da Defesa. A operação, de caráter emergencial, é feita pelo Exército em parceria com pipeiros particulares e atende 461 cidades afetadas pela seca no Nordeste e no Norte de Minas Gerais com oferta de água potável à população. 

No dia 24 de novembro, o governo federal publicou portaria que abre crédito suplementar em favor do MDR em edição extra do Diário Oficial da União (DOU). A verba seria usada para normalização da operação, que seria retomada na semana seguinte, segundo a pasta. Contudo, dados atualizados até este sábado (10) indicavam que 56,1% dos municípios beneficiados com a operação ainda estavam ao aguardo de recursos. Os municípios que estavam com suspensão no serviço somavam 12,3% do total.

Um ofício do Comando da 10ª Região Militar, datado do último 1º de dezembro e de caráter "urgentíssimo", apontou que o planejamento de entrega de água de dezembro tem limite de distribuição do recurso até a próxima sexta-feira (16). Depois dessa data, a água só pode ser entregue se houver novo envio de planilhas. O ex-presidente do Sindicato dos Pipeiros do Ceará, Eduardo Aragão, ressaltou que os trabalhadores não recebem verbas desde outubro. Os repasses liberados eram suficientes para abastecer algumas cidades até o dia 15 de novembro, enquanto outras puderam ter aporte suficiente para o serviço até o dia 26 de novembro.

O Ceará, apontou, conseguiu fazer manutenção da operação durante o último mês inteiro. No entanto, caso o estado não obtenha a verba, cerca de 150 mil cearenses devem deixar de ser abastecidos com água potável, própria para consumo, estimou o representante dos pipeiros. 

Uso de recursos

Conforme Eduardo Aragão, as verbas liberadas pelo governo federal são direcionadas aos pipeiros, que arcam com boa parte das atividades relacionadas à distribuição da água. O dinheiro é usado para cobrir as despesas de mão de obra, captação da água, manutenção dos veículos e dos postos de coleta do insumo. A administração federal é responsável pelo repasse de recursos e por traçar rotas de trabalho, considerando as localidades a ser beneficiadas. O ex-presidente do sindicato incluiu, ainda, ter recebido informações de que, além de não haver recurso para depois de tal data, a escassez de valores deve permanecer pelos primeiros 15 dias de 2023. O motivo, ponderou, é pela mudança de gestão no governo federal.

O g1 questionou o MDR sobre quando haverá o repasse dos recursos já liberados na portaria, qual o motivo de o dinheiro não ter sido enviado aos pipeiros, quantas pessoas ao todo podem ser impactadas pelo problema e que medidas a pasta busca realizar para garantir a oferta de água na transição de governo.

 A reportagem não recebeu retorno até a última atualização.

Operação Carro-Pipa no Ceará

O Ceará tem cinco cidades — Aiuaba, Arneiroz, Beberibe, Irauçuba e Quiterianópolis — com o abastecimento temporariamente suspenso. Embora a plataforma da operação não aponte população nessas localidades, a estimativa do Sindicato dos Pipeiros é de que 25 mil pessoas sejam afetadas pelo problema.

Por Marcelo Monteiro, g1 CE

Foto: MDR/Divulgação

Fonte - G1 Ceará 

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem