RÁDIO CATARINA FM ONLINE

Governo do Ceará dispensa agricultores de 50 municípios do pagamento do boleto do Hora de Plantar por causa das perdas de safra acima de 50% no período 2021/2022. Catarina está fora da lista já que o município teve perda de safra inferior a 50%.

 Levando em consideração perdas de safra acima de 50% no período 2021/2022, o Governo do Ceará, através da Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA), dispensou agricultores familiares de 50 municípios do pagamento da 35ª edição do Projeto Hora de Plantar.

Foram contempladas no ato as cidades de Aiuaba, Alcântaras, Amontada, Araripe, Arneiroz, Brejo Santo, Campos Sales, Canindé, Capistrano, Caridade, Catunda, Caucaia, Forquilha, Graça, Granjeiro, Groaíras, Hidrolândia, Ibicuitinga, Itatira, Jardim, Jati, Jucá, Limoeiro do Norte, Madalena, Massapê, Meruoca, Monsenhor Tabosa, Morada Nova, Mucambo, Nova Olinda, Orós, Pacujá, Parambu, Paramoti, Penaforte, Pindoretama, Porteiras, Potengi, Quiterianópolis, Quixelô, Quixeré, Saboeiro, Salitre, Santa Quitéria, Santana do Cariri, Senador Sá, Sobral, Tauá, Umari e Varjota.

Nenhum município dentre o grupo apresentou índice pluviométrico com variação negativa maior que 50%, de acordo com dados atualizados em 24 de agosto, pela Gerência de Meteorologia da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) e analisados pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Ceará (Ematerce).

O ato representa a dispensa de R$ 2.725.000,00 (dois milhões, setecentos e vinte e cinco mil reais), dentre os R$ 5.737.000,00 (cinco milhões, setecentos e trinta e sete mil reais) investidos em 962.655 quilos de sementes (milho híbrido, milho variedade, feijão caupi e sorgo forrageiro), 1.013.933 raquetes de palma forrageira, 49.596 mudas (cajueiro anão, essências florestais e frutíferas) e 1.105 m³ de maniva semente, em 57.943 operações, uma vez que um dos 49.662 agricultores podem ter sido contemplado com mais de uma cultura.

O Projeto Hora de Plantar visa fortalecer a agricultura familiar, utilizando sementes e mudas de elevado potencial genético que propiciem o aumento da produtividade das culturas e melhorem o nível de renda dos beneficiários.

“A cada edição, o Estado investe cerca de R$ 20 milhões na compra, aquisição e distribuição de sementes e mudas para mais de 150 mil agricultores cearenses”, relembra a secretária da SDA, Ana Teresa de Carvalho. Ela destaca ainda que “no ano passado, o Governo do Ceará tornou esta política pública, que é referência em todo o Brasil, em uma lei estadual, para garantir a execução permanente dessa assistência no campo”.

Segundo a Coordenadoria de Desenvolvimento da Agricultura Familiar da SDA (CODAF), quem pagou ano passado referente a safra 2020/2021, o boleto gerará um crédito do valor e, caso ainda tenha saldo, ficará para as próximas edições.

Fonte - SDA CEARÁ

 

 


Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem