OUÇA A RÁDIO CATARINA FM ONLINE - CLIQUE NO PLAY

Ticker

6/recent/ticker-posts
header ads

Saiba quais cidades do Ceará não registraram mortes por Covid em 2022

 

O ano de 2022 começou com uma forte incidência de infecções por Covid-19 no Ceará. A variante Ômicron, descoberta no fim do ano passado, foi a grande responsável por essa explosão de casos. No entanto, a curva do número de mortos, felizmente, não acompanhou a das contaminações. 

Contudo, ainda assim o Ceará registrou mais de 1.500 mortes desde 1º de janeiro deste ano até esta segunda-feira (21). Das 184 cidades, apenas 21 não tiveram nenhum caso de óbito por decorrência da Covid-19. As informações foram retiradas do IntegraSus, plataforma de dados da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), e confrmadas junto aos sites de cada prefeitura. 

Cidades sem óbitos em 2022:

  • Antonina do Norte (6.984 habitantes),
  • Aiuaba (16.207 habitantes),
  • Ararendá (10.500 habitantes),
  • Arneiroz (7.657 habitantes),
  • Banabuiú (18.313 habitantes),
  • Carnaubal (17.763 habitantes),
  • Chaval (12.617 habitantes),
  • Choró (12 853 habitantes),
  • Dep. Irapuan Pinheiro (9.698 habitantes),
  • Frecheirinha (12.991 habitantes),
  • Groaíras (11.219 habitantes),
  • Ibiapina (25.082 habitantes),
  • Jati (8.130 habitantes),
  • Marco (27.822 habitantes),
  • Milagres (27.413 habitantes),
  • Moraujo (8.225 habitantes),
  • Pacujá (5.986 habitantes),
  • Palmácia (12.624 habitantes),
  • Porteiras (14.920 habitantes),
  • São Luís do Curu (12.519 habitantes),
  • Senador Sá (6 852 habitantes),

As mortes deste ano representam menos da metade do índice de igual intervalo de 2021. Entre 1º de janeiro a 21 de março do ano passado, foram 3.800 óbitos. Os dados são do IntegraSus, plataforma oficial da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa).Para especialistas, este cenário de amortização do número de vítimas fatais deve-se à vacinação. Quanto às cidades que não registraram nenhuma morte, a virologista, epidemiologista e professora da Universidade Federal do Ceará (UFC), Caroline Gurgel, disse não existir um único fator específico, mas um conjunto de ações que podem ajudar a entender esta ausência de óbitos.

"Claro que a vacina [contra a Covid-19] é o principal fator. Quanto mais pessoas vacinadas, menor serão as chances de termos infectados desenvolvendo sintomas graves e, consequentemente, menores serão as quantidades de óbitos. Mas, outros fatores também contribuem", destaca a Caroline.

Foto: Thiago Gadelha. Diário do Nordeste 

Postar um comentário

0 Comentários

header ads