OUÇA A RÁDIO CATARINA FM ONLINE - CLIQUE NO PLAY

Ticker

6/recent/ticker-posts
header ads

Litoral Leste/Jaguaribe tem nível extremamente alto de síndromes respiratórias, aponta Fiocruz

 

A macrorregião de saúde do Litoral Leste/Jaguaribe, formada por 20 municípios cearenses, apresenta nível extremamente alto de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) desde o início de janeiro. O alerta foi publicado no Boletim Infogripe da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) divulgado na sexta-feira (21).

Essa classificação acontece quando uma região registra mais de 10 casos da síndrome por 100 mil habitantes em uma semana. Os dados analisados foram dos registros feitos até o dia 17 de janeiro.A macrorregião de saúde do Litoral Leste/Jaguaribe, formada por 20 municípios cearenses, apresenta nível extremamente alto de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) desde o início de janeiro. O alerta foi publicado no Boletim Infogripe da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) divulgado na sexta-feira (21).

Essa classificação acontece quando uma região registra mais de 10 casos da síndrome por 100 mil habitantes em uma semana. Os dados analisados foram dos registros feitos até o dia 17 de janeiro.O Boletim InfoGripe, além do destaque para a macrorregião do Litoral Leste/Jaguaribe, mostra que as demais cidades cearenses estão na classificação "muito alto", quando os registros variam entre 5 e 10 casos no quantitativo de 100 mil pessoas.

O Ceará apresenta crescimento dos casos desde o registro do dia 25 de dezembro com acentuação no dia 8 de janeiro. Na análise das capitais, Fortaleza aparece com sinal forte de aumento de SRAG.

REDE DE ATENDIMENTO

Diário do Nordeste reuniu relatos de profissionais da saúde atuantes nas 5 macrorregiões de saúde sobre as mudanças no atendimento de Covid-19 e síndromes gripais com o crescimento de casos desde o fim do último mês. Confira:Na região de saúde Litoral Leste/Vale do Jaguaribe a unidade de saúde de destaque é Hospital Regional do Vale do Jaguaribe (HRVJ).

Estão disponíveis 18 leitos de Clínica Médica Respiratória, conforme a assessoria de imprensa. Em casos de confirmação de infecção por coronavírus é feita transferência dos pacientes para outras regiões.

“Os pacientes chegam à unidade através da Central de Regulação de Leitos do Estado. Caso ele esteja no HRVJ e teste positivo para Covid-19, o paciente é colocado em isolamento e é pedido a transferência externa do paciente para uma unidade Covid, seja o Leonardo da Vinci ou outros hospitais como o Hospital Regional do Sertão Central”, como informou por meio de nota.

Formam a macrorregião de saúde  Litoral Leste/Vale do Jaguaribe os municípios:

  • Alto Santo
  • Aracati
  • Ereré
  • Fortim
  • Icapuí
  • Iracema
  • Itaiçaba
  • Jaguaretama
  • Jaguaribara
  • Jaguaribe
  • Jaguaruana
  • Limoeiro do Norte
  • Morada Nova
  • Palhano
  • Pereiro
  • Potiretama
  • Quixeré
  • Russas
  • São João do Jaguaribe
  • Tabuleiro do Norte

CENÁRIO DE AUMENTO

O último relatório da Fiocruz, publicado dia 15 de janeiro, mostrou crescimento de 290% de SRAG nas duas últimas semanas de dezembro e na primeira de janeiro em relação às três últimas semanas de novembro de 2021.

O crescimento foi maior do que o observado na curva nacional, de 135% no mesmo período. Na ocasião, o coordenador do InfoGripe Marcelo Gomes, analisou que a média do fim de dezembro e começo de janeiro estava estimada em cerca de 510 casos.

Essa estimativa para as semanas mais recentes leva em conta os casos já inseridos no sistema e o padrão de atraso de digitação para estimar o que já aconteceu, porém ainda não teve tempo de ser digitado no banco de dados nacional
MARCELO GOMES
Coordenador do InfoGripe

O pesquisador ainda analisou que o aumento não possui reflexo das festas de fim de ano devido ao tempo necessário para haver complicações.

“Quem se infectou nesses eventos leva aproximadamente uma a duas semanas para evoluir para necessidade de internação, em média. Então, só começam a bater na segunda semana de janeiro, que estarão nos dados da próxima atualização”, ponderou Marcelo Gomes.

MORTES POR SÍNDROMES GRIPAIS

Nas duas primeiras semanas de janeiro, o Ceará teve 78 mortes causadas por SRAG, de acordo com o Portal da Transparência da Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen). Isso representa aumento de quase três vezes do total de janeiro de 2021, quando foram 29 registros

A identificação da forma mais grave da doença acontece entre os indivíduos com síndrome gripal que apresentam dispneia/desconforto respiratório OU pressão ou dor persistente no tórax OU saturação de oxigênio menor que 95% em ar ambiente OU coloração azulada dos lábios ou rosto.

Os sintomas de síndromes gripais causadas por Covid-19 ou influenza são parecidos, por isso a Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) recomenda que o paciente procure fazer um teste, com maior brevidade possível.

As medidas preventivas mais indicadas são as mesmas recomendadas desde o início da pandemia:

  • lavar as mãos, punhos, unhas e espaços entre os dedos com água e sabão com frequência
  • evitar levar a mão ao rosto
  • utilizar máscaras descartáveis ou PFF2
  • manter os ambientes ventilados
  • evitar aglomerações

Foto: Helene Santos. Diário do Nordeste

Postar um comentário

0 Comentários

header ads