OUÇA A RÁDIO CATARINA FM ONLINE - CLIQUE NO PLAY

Ticker

6/recent/ticker-posts
header ads

Bandeira verde para famílias de baixa renda será mantida em fevereiro, decide Aneel; Famílias inscritas no programa Tarifa Social não vão pagar taxas adicionais na taxa de luz, no mês que vem

 


A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou, nesta sexta-feira (28), que as famílias de baixa renda, beneficiadas pela tarifa social de energia elétrica, não vão pagar taxas adicionais nas contas de luz em fevereiro. Ou seja, continuarão com a bandeira tarifária verde no mês que vem. 

Conforme a Aneel, as famílias de baixa renda também continuam com direito ao desconto nas tarifas, que varia de 10% a 65%, de acordo com a faixa de consumo.

Apesar da melhora nos níveis dos reservatórios, continua em vigor no Brasil a bandeira escassez hídrica, a mais cara, com cobrança de R$ 14,20 a cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos. Este é o valor pago pelos demais consumidores, que não estão na tarifa social. Até outubro de 2021, estava acionada para a tarifa social a bandeira vermelha. Com isso, famílias de baixa renda tinham que pagar um adicional de R$ 9,49 por 100 kWh. Porém, desde dezembro, não há cobrança adicional para esses consumidores.

Criado em 2015 pela Aneel, o sistema de bandeiras tarifárias é uma cobrança aplicada às contas de luz quando o custo de produção de energia aumenta. O sistema atenua os efeitos no orçamento das distribuidoras.

Quem tem direito

Têm direito à tarifa social famílias inscritas no Cadastro Único do Governo Federal, com renda per capita menor ou igual a meio salário mínimo; idosos com 65 anos ou mais e pessoas com deficiência que recebam o Benefício de Prestação Continuada (BPC); famílias inscritas no Cadastro Único com renda mensal de até três salários mínimos com um integrante que, devido a uma doença ou a uma deficiência, faça uso contínuo de aparelhos médicos que consomem energia elétrica.

Foto: Aneel. Diário do Nordeste 

Postar um comentário

0 Comentários

header ads