OUÇA A RÁDIO CATARINA FM ONLINE - CLQUE NO PLAY

Ticker

6/recent/ticker-posts
header ads

Fazendeiro e filho vão a julgamento por acusação de encomendarem assassinato no Interior do Ceará

 

O fazendeiro Francisco Alves de Paula, de 78 anos, e o filho, Luciano Lopes de Paula, 54, vão a julgamento a partir de 9h30 da próxima terça-feira (30), no 2º Tribunal do Júri de Fortaleza, na Justiça Estadual, por encomendarem o assassinato do agricultor tratorista João Paulo Rodrigues de Souza, na zona rural do Município de Ipaporanga (a cerca de 350 km de distância da Capital), em fevereiro de 2018.O julgamento de 'Chico Vitorino' e 'Luciano Vitorino', como são conhecidos os réus, estava marcado inicialmente para 5 de outubro último. Mas foi adiado no dia da sessão, devido ao adoecimento dos advogados dos dois acusados. 

"Por infeliz e improvável coincidência, o Defensor Particular do acusado Luciano Lopes de Paula e o Defensor Particular do acusado Francisco Alves de Paula, em um intervalo de apenas 12 (doze) horas adoecem", relatou a 2ª Vara do Júri.Lamentamos a não ocorrência da Sessão de Instrução e Julgamento do II Tribunal do Júri designada para esta data, em razão do trabalho demandado, do planejamento e organização realizadas, do deslocamento de mais de duas dezenas de pessoas para este plenário nesta data, mas, sem Defesa ou Defensor dativo de sobreaviso, não convém prosseguir na sessão de julgamento; lamenta-se mais ainda pelo estado de enfermidade na qual se encontram os nobres advogados de Defesa e rogamos que não nada de mais grave lhes aconteça, desejando-lhes pronta recuperação."

2ª VARA DO JÚRI DE FORTALEZA
No Diário da Justiça Eletrônico

Outras três pessoas foram acusadas pelo Ministério Público do Ceará (MPCE) pelo homicídio. Antônio Paulo Diogo de Paulo, o 'Paulo Vitorino', filho de Luciano e neto de 'Chico', morreu no sistema penitenciário cearense, em decorrência de um quadro de diabetes. Já Carlos Augusto Diogo Dias e uma mulher identificada apenas como Sheila seguem foragidos.

Durante o trâmite, o processo criminal foi transferido da Comarca de Ipaporanga para Fortaleza, devido ao risco de segurança que representava para os jurados.

VÍTIMA FOI MORTA NO ROÇADO

João Paulo Rodrigues de Souza trabalhava como agricultor tratorista em um roçado, na zona rural de Ipaporanga, quando foi surpreendido e assassinado. Carlos Augusto, conhecido como 'Xibiu', e a companheira Sheila chegaram ao local, perguntaram a outro trabalhador quem era 'João' e, quando a vítima desceu de um trator, a mataram com quatro tiros, na tarde de 20 de fevereiro de 2018.

A família Vitorino (Chico, Luciano e Paulo) é acusada pelo MPCE de ser mandante do crime de pistolagem. De acordo com as investigações, a motivação do crime seria o depoimento de um primo de João Paulo contra 'Luciano Vitorino', que tentou matá-lo, em janeiro daquele mesmo ano.

Os familiares acusados de encomendar o crime teriam, antes disso, tentado convencer o primo de João Paulo a mudar o depoimento na Polícia Civil do Ceará (PCCE), com promessa de dinheiro e até ameaças. O assassinato de João teria sido a última tentativa de intimidar o depoente na outra investigação policial.

A defesa Francisco Alves de Paula não quis falar sobre o julgamento. Já a defesa de Luciano Lopes de Paula, representada pelo advogado Francisco Carlos de Sousa, espera que o cliente seja absolvido. "Há prova técnica e prova pericial de que ele não efetuou disparo de arma de fogo na tentativa de homicídio que ele é acusado. Não tendo cometido a tentativa, ele não teria motivos para mandar matar o João Paulo", alega.

Foto: Natinho Rodrigues. Diário do Nordeste  

Postar um comentário

0 Comentários

header ads