Governo Federal credencia 79 centros de atendimento à Covid-19 em 71 cidades do Ceará; veja onde

 O Governo Federal vai financiar, por três meses, quase 2,7 mil centros de enfrentamento à Covid-19, em todo o Brasil. No Ceará, são 79 equipamentos distribuídos em 71 cidades. O anúncio ocorre em um momento em que o Estado atravessa um período de números baixos tanto de casos como de óbitos pela doença.

Destes 79, são 78 Centros de Atendimento para Enfrentamento da Covid-19, cujo principal objetivo é o atendimento dos casos de síndrome gripal leve, causada ou não pelo coronavírus, evitando a ida de sintomáticos leves aos serviços de urgências ou hospitais e atuando na identificação precoce dos casos.

Além deles, há um Centro Comunitário de Referência para Enfrentamento da Covid-19 no município de Pentecoste. Esse modelo, com 93 unidades em todo o Brasil, é exclusivo para cidades “que têm comunidades e favelas”, conforme classificação do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).Veja onde os Centros estão distribuídos no Ceará:

TIPOS DE EQUIPAMENTO

Há três modalidades de Centros de Atendimento disponíveis:

  • Tipo 1 - para municípios de até 70 mil habitantes: deve possuir um consultório, uma sala de acolhimento, uma sala de isolamento e uma sala de coleta. O incentivo financeiro é de R$ 60 mil por mês.
  • Tipo 2 - para municípios entre 70 mil e 300 mil habitantes: deve possuir dois consultórios, uma sala de acolhimento, de uma a duas salas de isolamento e uma sala de coleta. O incentivo financeiro é de R$ 80 mil por mês.
  • Tipo 3 - para municípios com mais de 300 mil habitantes: deve possuir três consultórios, duas salas de acolhimento, de duas a três sala de isolamento e uma sala de coleta. O incentivo financeiro é de R$ 100 mil por mês.

    PRESTAÇÃO DE CONTAS

    No Ceará, 63 equipamentos são do Tipo 1, nove do Tipo 2, e mais 7 do Tipo 3. Ao todo, o financiamento do Ministério da Saúde a essas unidades no Estado será de 15,6 milhões, referentes aos meses de julho a setembro.

    Segundo a portaria Nº 2.010/2021, o incentivo financeiro será transferido em parcela única do Fundo Nacional para os fundos municipais de saúde. 

    O montante está sujeito a devolução caso não haja registro de informações no sistema oficial referentes ao funcionamento dos Centros Comunitários.

  • Foto: Antonio Rodrigues. Diário do Nordeste

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem