Ceará confirma caso de sarampo após 17 meses livre da doença; dose extra de vacina será aplicada

 Após 1 ano e 4 meses livre do sarampo, o Ceará confirmou um caso da doença, em julho, no município de Massapê, a cerca de 244 km de Fortaleza. Com isso, o Estado volta a recomendar a vacinação antecipada de bebês de 6 a 11 meses, para protegê-los de eventual surto da virose.

As informações foram confirmadas pela Secretaria Estadual da Saúde (Sesa), no dia 26 de julho, em nota técnica de alerta. Em informativo à reportagem hoje (5), a Pasta afirmou que o caso confirmado é de uma criança de 3 anos de idade, "sem histórico de viagem ou de contato com algum viajante".

No documento, a Pasta orienta que profissionais de saúde mantenham nível de alerta máximo para identificação e contenção de possíveis infecções. O vírus se mantém em circulação ativa em seis estados: 

  • Ceará - 1 caso
  • Amapá - 394 casos 
  • Pará - 88 casos
  • Alagoas - 10 casos
  • São Paulo - 6 casos
  • Rio de Janeiro - 1 caso

DOSE ZERO DA VACINA

Em junho, a Sesa havia suspendido a aplicação da chamada “dose zero” da tríplice viral em bebês menores de 1 ano, medida que era emergencial e temporária. Pelo Calendário Nacional de Vacinação, a tríplice só é aplicada aos 12 meses (D1) e aos 15 meses de vida (D2).

Em entrevista ao Diário do Nordeste, em junho, a pediatra Vanuza Chagas já havia alertado que “as crianças são as mais suscetíveis a complicações e sequelas do sarampo” e que, por isso, é preciso manter o esquema vacinal completo e atualizado.

O sarampo já foi uma das principais causas de mortalidade infantil, e a volta se deu justamente pela queda da cobertura vacinal.

A Sesa orienta que “pessoas com viagens programadas busquem o posto de saúde mais próximo para verificar a necessidade de se vacinar contra o sarampo”, e alerta que “toda pessoa não vacinada e que nunca teve a doença é suscetível a contrair”. A vacina é a única forma de prevenção.

QUAIS OS SINTOMAS DO SARAMPO

De acordo com a nota técnica, pacientes com febre e lesões na pele acompanhadas de algum sintoma como tosse, coriza e/ou conjuntivite devem ser testados para a doença. 

Além disso, “todo indivíduo suspeito com história de viagem a locais com circulação do vírus nos últimos 30 dias ou de contato, no mesmo período, com alguém que viajou para lugares com circulação viral” também deve ser examinados.

CASOS DE SARAMPO NO CEARÁ

O último boletim epidemiológico sobre a virose foi emitido pela Sesa em 8 de junho de 2020. Até a data, três casos de sarampo haviam sido confirmados no Ceará, todos oriundos de um mesmo surto no município de Cariré, a cerca de 270 km de Fortaleza.

Todos os infectados eram homens, tinham mais de 30 anos de idade e nenhum sabia se estava vacinado..

Em 2019, o Ceará contabilizou 19 casos da doença, sendo 10 em Fortaleza e Região Metropolitana e os demais no interior. Do total, 13 eram crianças e seis adultos. Nove dos infectados não estavam vacinados ou não sabiam dessa informação.

Foto: Fabiane de Paula. Diário do Nordeste

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem