Justiça impugna candidato a prefeito em eleição suplementar de Martinópole

 

A Justiça Eleitoral indeferiu, nesta quinta-feira (22), a candidatura de James Bel (PP) à Prefeitura de Martinópole, que passará por eleições suplementares no próximo dia 1º de agosto. 

A decisão acirrou o clima eleitoral e elevou as indefinições nas eleições do município, onde, recentemente, o Ministério Público Eleitoral (MPE) pediu a impugnação dos dois únicos candidatos a prefeito.

O postulante do PP foi às redes sociais na tarde desta quinta para dizer que recorrerá da decisão no Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE).A impugnação de James Bel era dada como certa por especialistas justamente porque foi ele, o mais votado do pleito de novembro passado, que deu causa à necessidade de novas eleições. 

Ele foi considerado inelegível e cassado já na disputa em 2020, por ter sofrido um processo disciplinar e perdido o cargo de professor da rede pública. James teve mais uma vez o registro de candidatura indeferido, desta vez pelo juiz Hugo Gutparakis de Miranda, da 25ª Zona Eleitoral.

Esse processo o fez ser enquadrado na Lei da Ficha Limpa

Na ação, o magistrado considerou a alegação feita pelo Ministerio Público e pela coligação concorrente, de que um candidato inelegível em uma eleição regular não poderá tentar se candidatar em uma eventual disputa suplementar. 

James Bel chegou a ser eleito em 2020, mas teve candidatura cassada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em fevereiro.

Júnior Fontenele (PL) é o candidato concorrente. Embora ainda seja possível recorrer da decisão, é bastante iminente a substituição da candidatura.

As novas eleições estão marcadas pelo TRE-CE para ocorrer no dia 1º de agosto. Pedra Branca e Missão Velha também terão pleito suplementar.

Foto: Agência Brasil. Fonte - Diário do Nordeste

Post a Comment

Postagem Anterior Próxima Postagem