Postagens recentes

20/recent/ticker-posts

Blogroll

header ads

Todas as regiões do Ceará apresentaram mais mortes por Covid-19 em 2021 que 2020, exceto a de Sobral

 Das cinco regiões de saúde do Ceará, a de Sobral é a única cujos números de óbitos por decorrência da Covid-19 registrados em 2021 ainda não ultrapassaram o quantitativo acumulado no ano anterior. Ressalte-se, contudo, que os registros se deram ao longo de mais de nove meses em 2020 e em um período bem menor deste ano (cinco meses e 9 dias).

No cenário oposto está a região Litoral Leste/Jaguaribe que teve o maior aumento percentual (37%) de mortes do Estado no comparativo entre 2021 e 2020. Em todo o Ceará, 2021 já registra 4,79% mais mortes que em 2020. Os números são do IntegraSus, plataforma da Secretaria da Saúde (Sesa) do Estado.

Entre março de 2020 - mês de início da pandemia - e 31 de dezembro do ano passado, Sobral acumulou 1.641 vidas permitidas para o vírus Sars-Cov-2. Entre 1º de janeiro de 2021 e 9 de junho, foram 1.543 óbitos, o que significa redução de 5,97%. Já o Litoral Leste/Jaguaribe teve 452 mortes por decorrência da doença em 2021 e, neste ano, a Sesa já registrou 622 óbitos, aumento de 37%. Na região de Fortaleza o aumento foi de 5,35%; no Sertão Central de 3,63%% e, no Cariri, crescimento de 4,76%.

Esta última região, inclusive, foi a única que registrou aumento na taxa de letalidade. Em 2020 foi de 1,9 e, agora em 2021, está em 2. A letalidade avalia o número de mortes em relação às pessoas que apresentam a doença ativa, e não em relação à população toda, ou seja, mede a porcentagem de pessoas infectadas que evoluem para óbito.

Diferentemente do que ocorre com a taxa de mortalidade, cujo coeficiente é comparado com a população total de determinada localidade (cidade, região, país, etc.).

CASOS EM 2021 JÁ SUPERAM ÍNDICE DE 2020

Quando observado apenas o número de infecções pelo novo coronavírus, 2020 já foi superado em todas as regiões. O maior aumento percentual é registrado na região de saúde de Fortaleza - que aglutina 43 municípios - com 67,97%. Em seguida aparece Litoral Leste/Jaguaribe com crescimento de 60,24%.

Sertão Central foi a terceira região com maior aumento (35,80%), seguido por Sobral (4,30%) e Cariri, cujo salto foi de 0,96%. Unificando os dados de todas as localidades, o Ceará registrou 351.808 infecções em 2020 e 482.038 neste ano, um aumento de 37%. 

Este aumento nos casos tem impacto direto na ocupação dos leitos de UTI exclusivos ao tratamento da Covid-19. Há dois dias o Diário do Nordeste mostrou que três das cinco regiões de saúde estavam com 100% das vagas de UTI adulta preenchidas. 

Hoje o cenário é um pouco melhor, mas igualmente preocupante. Apenas a região de saúde de Fortaleza não tem taxa de ocupação acima dos 90%. Já Sertão Central e Litoral Leste/Jaguaribe seguem com colapso nas unidades de atendimento.

  • Fortaleza: 89,34% de ocupação nas UTI adulta / 73,94% de ocupação nos leitos de enfermaria
  • Sobral: 91,87% de ocupação nas UTI adulta / 61,71% de ocupação nos leitos de enfermaria
  • Cariri: 99,25% de ocupação nas UTI adulta / 49,81% de ocupação nos leitos de enfermaria
  • Sertão Central: 100% de ocupação nas UTI adulta 
  • Litoral Leste/Jaguaribe: 100% de ocupação nas UTI adulta 

Em relação à taxa de Sobral, a secretaria da Saúde do Município explica "que parte dos pacientes internados são de outras cidades da região". Ainda conforme ela, o número de pacientes "oriundos de Sobral tem caído". No entanto, ela não detalhou os números.

A média geral do Estado é de 92% de ocupação nas UTIs adulta e 63,38% de ocupação nos leitos de enfermaria. "Essa taxa de ocupação ainda alta é uma prova de que, apesar de estarmos avançando nos índices, o momento ainda é de alerta, todos devem seguir cumprimento os protocolos sanitários", reforça Regina Carvalho.

Foto - Mateus Ferreira - Fonte - Diário do Nordeste 

Postar um comentário

0 Comentários