quarta-feira, 23 de dezembro de 2020

Justiça condena a 23 anos de prisão acusado de praticar feminicídio contra a companheira em Parambu

 

Foto - Folha do Sertão 

O Conselho de Sentença do Tribunal do Júri da Comarca de Parambu, distante 405 km de Fortaleza, condenou a 23 anos de prisão, em regime inicialmente fechado, Felipe Vieira do Nascimento. Ele foi acusado de cometer o crime de feminicídio (homicídio motivado pela condição de gênero) contra a própria companheira, em fevereiro de 2019. A vítima foi morta por estrangulamento e asfixia. A motivação do crime seria uma suposta traição por parte da mulher, grávida de cinco meses.  O réu foi levado a júri popular nessa quinta-feira (17/12), na Vara Única da Comarca de Parambu. O julgamento durou cerca de 7 horas. Durante a sessão, presidida pela juíza Leila Regina Corado Lobato, o Conselho de Sentença decidiu que o homem praticou o crime de homicídio qualificado. Também considerou as qualificadoras de impossibilidade de defesa da vítima e motivo fútil. Ele foi acusado ainda de provocar o aborto da mulher.

De acordo com a sentença, a juíza negou ao réu o direito de recorrer em liberdade, uma vez que ele respondeu ao processo preso, além do que os motivos justificadores da manutenção da custódia cautelar, pressupostos da prisão preventiva, permanecem presentes. O crime foi cometido na casa onde o casal morava, no Sítio Toca do Lobo 2, na zona rural de Parambu. Após matar a vítima estrangulada, o criminoso simulou um suicídio dizendo para familiares que havia achado a vítima já sem vida. Segundo a Polícia Civil, a versão apresentada não foi convincente. Após investigações, os policiais chegaram à conclusão de que a mulher teria sido assassinada por estrangulamento, causa essa que inclusive foi confirmada nos laudos confeccionados pela Perícia Forense do Ceará (Pefoce).