Postagens recentes

20/recent/ticker-posts

Blogroll

header ads

Hora de Plantar: 150 mil agricultores serão beneficiados com investimento de R$ 19,2 mi

 

Foto - Governo do Estado 

No total, 150.245 agricultores familiares de 182 municípios são os beneficiados com o Projeto Hora de Plantar 2020/2021. Com um investimento de R$ 19.291.205, via Fundo Estadual de Combate à Pobreza (Fecop), a iniciativa do Governo do Ceará foi lançada nesta terça-feira (8) e prevê a distribuição de 3.410 toneladas de sementes de milho híbrido e variedade, feijão caupi e sorgo forrageiro. E ainda: 5,71 milhões de raquetes de palma forrageira, 2.750 m³de maniva de mandioca, 348.734 mudas de cajueiro anão precoce, 19.364 mudas frutíferas

e 83.286 mudas florestais nativas abrangendo todas as regiões do Estado.“Esse é um projeto que temos aqui no Estado desde a década de 80 e o Ceará é o único estado brasileiro a realizar uma iniciativa de distribuição de sementes de qualidade nesse porte, para que o nosso agricultor possa ter uma produção e um ganho econômico maior”, destacou o governador Camilo Santana, durante solenidade no Palácio da Abolição transmitida pelas redes sociais. A solenidade contou as participações do secretário do Desenvolvimento Agrário, Francisco de Assis Martins; dos prefeitos de Crateús, Marcelo Machado; e de Milagres, Lielson Landim; do secretário de Agricultura de Quixeramobim, Renan Rodrigues; e do secretário executivo de Pesca do Desenvolvimento Agrário, Antônio Nei de Sousa, que estavam nos galpões dos municípios citados de onde sairão as mudas e sementes.O lançamento da 34ª edição marca o início da distribuição das sementes a partir dos armazéns da região do Cariri, em Milagres e Barbalha. Logo em seguida, elas passam a ser distribuídas nos armazéns de Tauá, Crateús, Iguatu e Quixeramobim e, depois, a partir dos armazéns regionais de Morada Nova e Região Metropolitana de Fortaleza.

 A distribuição aos agricultores em todos os 182 municípios cearenses atendidos pelo projeto acontece até fevereiro de 2021 e será realizada pelos escritórios regionais da Ematerce, conforme orientação técnica da Secretaria do Desenvolvimento Agrário.Nos últimos cinco anos, o Hora de Plantar já realizou a entrega de 15.662,89 toneladas de sementes, 35 milhões de raquetes de palma forrageira e 22.642 m³ de maniva de mandioca. A ação distribuiu ainda 1.814.159 mudas de caju anão precoce, 646.863 mudas de essências florestais nativas e 12.685 mudas de outras frutíferas. “Em 2020, o Estado do Ceará deve superar uma safra agrícola de mais de 800 mil toneladas de cereais, leguminosas e oleaginosas e o Hora de Plantar é uma política pública decisiva para que possamos compreender este resultado”, comentou o secretário Francisco de Assis Diniz.Um dos diferenciais do projeto é o alto padrão da semente, que é fiscalizada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. “Recebo essa semente faz vinte anos. A diferença entre essa semente e o grão que a gente compra no mercado é que o milho que a gente recebe pela Ematerce brota mais rápido, cresce mais igual e vinga uma espiga maior – e a semente também é maior”, disse o agricultor Antônio de Noé, natural do município de Ocara. “Ela é o que me dá a segurança de que posso plantar: a gente sabe que a espiga é de qualidade”, conclui.

Além disso, a edição 2020/2021 expandirá o fornecimento de 6 para 90 toneladas a quantidade de milho biofortificado para 600 agricultores familiares do Estado. A cultivar BRS-4104, desenvolvida pela Embrapa, possui uma concentração de carotenoides precursores da vitamina A de 2,5 a 3,2 vezes maior do que os valores encontrados no milho comum, mesmo mantendo características como cor e sabor. O resultado é um alimento mais nutritivo e com potencial de combater problemas de visão e baixa imunidade, causados pela falta de vitamina A na alimentação humana.

“Como o milho é abundante na mesa dos nordestinos, na preparação do cuscuz, da canjica, da pamonha, de bolos ou mesmo do milho cozido, todos consumiriam automaticamente algo de maior valor nutricional”, justifica De Assis Diniz.

Postar um comentário

0 Comentários