RÁDIO CATARINA FM ONLINE AO VIVO

VOCÊ ESTÁ OUVINDO RÁDIO CATARINA FM ONLINE - ZAP 88-9-8845-4147 PROGRAMAÇÃO AO VIVO COM LOCUTORES: 07H AS 08H - 09H AS 11H - 12H AS 13H - 15H AS 17H.

Universitários filhos de catarinenses e netos do Valderí, apresentam Projeto da Defesa Civil de Dourados em Simpósio nacional.

Foto -  Prefeitura de Dourados - Mato Grosso do Sul


Antônio Iderlian Pereira de Souza e Idaiane Pereira de Souza, que representaram a Defesa Civil de Dourados Simpósio nacional, são filhos dos catarinenses Antonio Assunção e Valdiene Parente, que é filha do Valderí.  A Defesa Civil de Dourados elaborou um projeto de prevenção de desastres naturais e a proposta foi apresentada no XVIII Simpósio Brasileiro de Geografia Física Aplicada, no dia 13 de junho. O órgão estrutura a ação com apoio da UFGD (Universidade Federal da Grande Dourados).




O “Mapeamento das Áreas de Risco de Enchente e Inundação como Instrumentos de Apoio a Tomada de Decisões” foi apresentado no evento por Antônio Iderlian Pereira de Souza e Idaiane Pereira de Souza, que representaram a Defesa Civil de Dourados.

O coordenador da Defesa Civil de Dourados, Ademir Martins, cita que no mapeamento áreas que possuem vulnerabilidade quando ocorrem chuvas em grandes volumes e que podem ser impactadas negativamente por conta de resíduos liberadas por empresas, por exemplo, serão sinalizadas e o acompanhamento será mais eficaz, com emissão dos alertas necessários e auxílio nas tomadas de decisões.

“Avaliaremos a possibilidade de desastres naturais e provocados pelo homem. Contaremos em breve com uma mini sala de situação para um acompanhamento interligado com plano de emergência”, disse.

Por meio da parceria da UFGD no mapeamento, a Defesa Civil obtém apoio científico no projeto, além de envolver os acadêmicos para conhecimento e atuação.

Ademir destaca que a ação será inovadora em Dourados e que o município tem se antecipado às exigências nacionais que vêm sendo implementadas, como o Projeto de Lei n° 692 D, que tramita no senado federal e que aponta que “os municípios com capacidade técnica, operacional e financeira deverão implantar sistema complementar de monitoramento meteorológico, hidrológico e geológico, em articulação com a União e o Estado”.






Nenhum comentário:

Postar um comentário