quinta-feira, 9 de maio de 2019

Secretária de Iguatu é presa por falta de informações sobre transporte escolar; gestora pagou fiança

A secretária de Educação do município de Iguatu, Elizângela Gomes Medeiros, foi presa na última segunda-feira (6), por não enviar informações cobradas pelo Ministério Público Estadual sobre o serviço de transporte escolar. A gestora pagou fiança no valor de R$ 10 mil, no mesmo dia, e vai responder em liberdade. Por telefone, Elizângela disse que ficou surpresa com a prisão.
De acordo com o auto de prisão, a secretária "retardou ou omitiu dados técnicos indispensáveis à propositura da ação civil, requisitados pelo Ministério Público". Segundo o delegado plantonista da Delegacia Regional de Iguatu, Ariel Alves de Freitas, Elizângela foi levada à unidade policial, prestou depoimento e pagou fiança, na presença do seu advogado.

O promotor de Justiça da comarca de Iguatu, Fábio Ottoni, explicou que duas requisições importantes na área da educação foram ignoradas. "O Ministério Público analisará a viabilidade de propositura de denúncia, mas (a secretária) está, por enquanto, sendo acusada da prática de crime previsto no artigo 10 da lei de ação civil pública, que preve como crime a recusa de prestar informações", disse.
Defesa
Por telefone, a secretária Elizângela Gomes disse que foi surpreendida com a prisão. Segundo a titular da pasta, o ofício do Ministério Público cobrava mais de 30 itens sobre o serviço de transporte escolar. Argumentou que a adminstração atual tem apenas três meses e está sendo cobrada por atos de gestões anteriores. Elizângela afirmou que a Prefeitura de Iguatu vai emitir uma nota de esclarecimento sobre o fato.

Nenhum comentário:

Postar um comentário